Kepler, o planeta mais parecido com a Terra encontrado pela NASA

Os humanos anseiam encontrar vida em outro planeta há muito tempo, e mesmo sabendo da imensidão do universo com seus milhões de planetas e galaxias, ainda não encontramos nenhum sinal de vida.

Encontrar outros planetas semelhantes ao nosso é uma outra ambição humana; um lugar tão semelhante à Terra que nos permite estabelecer colônias e desenvolver uma nova civilização. Embora muitos candidatos tenham sido encontrados devido à exploração espacial, ainda faltam pesquisas.

NASA/Ames Research Center/Daniel Rutter

Este é o caso do Kepler-1649c.
O telescópio Kepler de caça a planetas da NASA orbitou nosso Sol, pesquisando o universo em busca de novos mundos habitáveis. Embora tenha chegado ao fim, deixou-nos vastas descobertas que levarão anos a analisar. A nave parou de operar em outubro de 2018, quando seu combustível acabou.

O Kepler foi lançado ao espaço em 2009, fazia parte do programa Discovery da NASA e seu objetivo era descobrir planetas com tamanho e distância de sua estrela, semelhantes aos da Terra. O telescópio utilizou o “método de trânsito” que consiste em procurar quedas de brilho que os planetas causam ao passarem na frente das estrelas; mede a curvatura da luz e suas mudanças periódicas.

Ao longo de nove anos, o telescópio identificou 2.740 candidatos a exoplanetas, dos quais apenas 114 foram confirmados em 69 sistemas estelares. O número total de exoplanetas que o Kepler identificou representa dois terços do número de exoplanetas descobertos até agora, que é 4.100.

Entre todos esses dados, os cientistas encontraram algo maravilhoso: um planeta rochoso do tamanho da Terra que poderia ter água em estado líquido e sustentar vida.

A 300 anos da Terra, o exoplaneta Kepler-1649c envolve uma estrela anã vermelha; Está na chamada “zona habitável”. Ou seja, a uma distância perfeita da estrela de modo que não seja nem muito quente nem muito frio, e sua órbita dure 19,5 dias terrestres.

O exoplaneta tem um diâmetro de 6.753 quilômetros, é maior que o da Terra, que mede 6.371. É conhecido por receber 75% da luz de sua estrela, então a temperatura do Kepler-1649c poderia estar perto o suficiente do nosso planeta.

Isso significa que pode haver água líquida.
A estrela se chama Kepler-1649, é uma anã vermelha do tipo M, tem apenas dois planetas orbitando-a. Um é o Kepler-1649b, que é semelhante ao planeta Vênus em nosso sistema solar, tanto em tamanho quanto em órbita. O outro é Kepler-1649c.

NASA/Ames Research Center/Daniel Rutter

O Administrador Associado do Diretório da Missão Científica da NASA, Thomas Zurbuchen, disse:

“Este mundo distante e intrigante nos dá ainda mais esperança de que uma segunda Terra esteja entre as estrelas esperando para ser encontradas”

NASA/Ames Research Center/Daniel Rutter

Ainda há muito a descobrir no universo, mas a esperança de encontrar e trazer vida para outro lugar permanece intacta.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.