Diverso

Mulher trans se sentiu discriminada ao passar pelo scanner de segurança do aeroporto. O debate começa

Mulher trans se sentiu discriminada ao passar pelo scanner de segurança do aeroporto. O debate começa

“Há um scanner masculino e um scanner feminino no checkpoint. E, olhando para mim, você sabe, eu pareço uma mulher e eu sou uma mulher. Então isso é ótimo (…) Mas, quando eu passo no scanner, sempre tenho uma ‘anomalia’ entre as minhas pernas que dispara o alarme”, disse Rose Montoya.

Nos últimos tempos, uma mudança radical foi gerada em algumas políticas para gerar maior diversidade e respeito pela comunidade LGBTIQ +. No entanto, existem algumas áreas e serviços que ainda não se adequam a isso e que continuam a cair em atos discriminatórios.

Conforme relatado pelo BuzzFeed, Rose Montoya, uma influenciadora trans, maquiadora, modelo e atriz, recentemente compartilhou uma experiência ruim que teve com guardas de segurança no aeroporto do Arizona, enquanto ia visitar seu namorado.

 Publicidade
Instagram @rosalynnemontoya

A modelo postou um vídeo em seu Instagram explicando a situação. Como ela disse: “Sempre tenho uma ansiedade imensa que me leva a passar pela segurança. E isso significa que reconheço plenamente o privilégio de ter todos os meus documentos corretos.”


Rose teve que passar pelo scanner, um processo rotineiro no embarque de um avião. “Há um scanner masculino e um scanner feminino no checkpoint. E, olhando para mim, você sabe, eu pareço uma mulher e eu sou uma mulher. Então isso é ótimo (…) Mas quando eu passo pelo scanner, sempre tenho uma ‘anomalia’ entre as minhas pernas que dispara o alarme ”, disse.

Instagram @rosalynnemontoya

Foi então que um assistente de segurança perguntou se ela tinha “alguma coisa” nas calças. “Eu disse ‘não’ e ela disse: ‘Bem, talvez seja o metal em seu short, então vamos examiná-la novamente'”, acrescentou Rose.




Rose sentia o tempo todo que estava sendo ignorada pela assistente de segurança. “A solução dela foi me perguntar se eu queria ser escaneada como homem. Eu não queria, mas acabei fazendo. E ali meus seios disparam, é claro. Tentei brincar com isso e disse não se preocupe, só tem um monte de plástico ali. Então ela disse que tinha que me revistar e perguntou se eu preferia que um homem fizesse isso. Eu disse absolutamente não”.

Instagram @rosalynnemontoya

Depois desse momento ruim, Rose disse “respirei fundo, peguei minhas coisas e comprei um café com leite com manteiga de biscoito e um sanduíche. “

Instagram @rosalynnemontoya

A partir daí, a influenciadora passou a publicar uma série de vídeos em seu TikTok para conscientizar sobre esses casos de discriminação. “É preciso haver treinamento em todos os negócios sobre pessoas trans. Somos reais e sempre existimos. Não sou um cidadão de segunda classe. Eu mereço os mesmos direitos e o mesmo respeito que os cisgêneros ”, encerrou Rose.

Fonte: upsocl

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

1 Comentário

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.