Inspiração

França obriga seus supermercados a doar produtos que não foram vendidos

Em 2019, ainda encontramos famílias que não têm nada para comer e que infelizmente estão enfrentando uma situação crítica. Há famílias que, embora a mãe ou o pai tenham um emprego, seu salário é tão baixo que não serve para alimentar todas as bocas, pois há outras dispesas como, aluguel, água e eletricidade. Há outras famílias que, pelo contrário, nenhum de seus membros encontrou trabalho e não pode alugar nem uma casa ou comprar comida para sobreviver.

França obriga seus supermercados a doar produtos que não foram vendidos

Em 2019, ainda encontramos famílias que não têm nada para comer e que infelizmente estão enfrentando uma situação crítica. Há famílias que, embora a mãe ou o pai tenham um emprego, seu salário é tão baixo que não serve para alimentar todas as bocas, pois há outras despesas como, aluguel, água e eletricidade. Há outras famílias que, pelo contrário, nenhum de seus membros encontrou trabalho e não pode alugar nem uma casa ou comprar comida para sobreviver.

Ainda há pessoas e famílias nas ruas lutando para sobreviver a essa vida tão cara e, infelizmente, estão em uma situação muito difícil de sair.

Alguns estabelecimentos se dedicam exclusivamente a alimentar os desabrigados e sem recursos para se alimentar e outros se dedicam à doação de produtos para famílias que não podem comprar alimentos para si, como por exemplo o caso da cruz vermelha no país da Espanha.

Outros países, ao contrário, decidem adotar medidas diferentes, como o exemplo da França, que em 2016 aprovou uma lei que obrigava todos os supermercados do país a não jogar fora alimentos que não eram vendidos em um período de tempo, porque esses alimentos poderiam servir para ser oferecido a organizações e bancos de alimentos.

Mas não apenas isso, os restaurantes também foram obrigados a que, se ainda restassem alimentos, eles teriam a obrigação de prepará-los em sacolas e depois entregá-los aos clientes que realmente precisam e a seus animais de estimação.

Com esta nova lei, a França está se aproximando de alcançar um objetivo que inicialmente parecia impossível para todos e que ninguém consegue ter uma idéia da grande quantidade de comida que é jogada em perfeitas condições, esses que não foram vendidos e não lhes “servem” mais. É algo que poucos países percebem, mas que no final é muito necessário.

Esperava-se que esta iniciativa fizesse com que o país ganhasse o primeiro prêmio do Food Sustainability Index, criado pelo Barilla Center for Food & Nutrition e Economist Intelligencia Unid duas grandes potências na indústria de alimentos.

Para ganhar esse prêmio, são analisados três fatores. O primeiro é desperdício de alimentos e, o segundo é nutrição e sua qualidade e, finalmente, encontraríamos a agricultura e como isso respeita o meio ambiente.

Graças a essas três diretrizes e com os melhores resultados, a França está atualmente no topo dos países que se alimentam de forma sustentável. Uma conquista muito admirável deve ser dita.

Fonte: PlayGroundMAG

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

1 Comentário

  1. Awesome post! Keep up the great work! 🙂

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.