Diverso

Ele tem 29 anos e processou seus pais por trazê-lo ao mundo sem o consentimento dele. Acha que foi injusto

Ele tem 29 anos e processou seus pais por trazê-lo ao mundo sem o consentimento dele. Acha que foi injusto

Raphael Samuel, tem 27 anos e é natural de Bombaim (Índia). Questionado sobre seu “estado”, ele diz que está “vivo e se arrependendo [sic]”. Por quê? “Porque eu não pedi para nascer.”

Ele se define como “anti-natalista”, movimento que vem ganhando adeptos em seu país, onde os jovens urbanos resistem cada vez mais à pressão social para ter filhos.

De sua página no Facebook, Nihilanand, ele anunciou que planeja processar seus pais por tê-lo trazido a este mundo “sem o consentimento dele”.

Segundo a mídia argentina Infobae, o jovem quer processar os pais por terem dado à luz sem antes pedir seu consentimento. Embora possamos pensar que isso nada mais é do que uma discussão entre eles e ele logo se arrependerá, a demanda é séria: segundo ele, pertence ao movimento anti-natalista.

Facebook @thenihilanand

Samuel explicou na revista The Print The Print que os pais “são hipócritas”, uma vez que têm seus filhos “para sua alegria e prazer”. E não é questão de ele não se dar bem com a família – “Amo os meus pais”, garante – “nem tenho uma existência difícil” “a minha vida tem sido incrível”, afirma – mas não acredita que os pais tenham o direito de “fazer passar outra vida na escola, procurar emprego…, principalmente quando essa pessoa não pediu para existir”.

Em outras palavras, em sua opinião, as pessoas deveriam abster-se de ter filhos por motivos morais.

Facebook @thenihilanand
 Publicidade

“Quero dizer a todas as crianças que elas não devem nada aos pais”, diz Samuel. “Amo meus pais e temos um ótimo relacionamento, mas eles me tiveram para sua alegria e prazer. Minha vida tem sido incrível, mas não vejo por que deveria submeter outra vida à confusão da escola e de encontrar um emprego, até porque não pedi para existir. “

E embora pareça um pouco absurdo, outros ativistas desse tipo apóiam e vão além, argumentando que ter filhos também é um fardo para os recursos da Terra. “Devemos continuar trazendo mais crianças ao mundo e acelerar o processo de degradação socioambiental?”, Questionou Pratima Naik, outra das lideranças desse curioso movimento.

Facebook @thenihilanand

“Não queremos impor nossas crenças a ninguém, mas mais pessoas precisam considerar por que ter um filho no mundo agora não é bom”, acrescentou Naik. “Somos um grupo de pessoas que decidiu não se reproduzir. Somos índios sem filhos! ”.

E você, o que acha disso?

Com informação upsocl

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.